terça-feira, 7 de dezembro de 2021

A necessidade de Celebrar (17 anos da Fonte Church em Caxias do Sul)

 Na sua opinião, um cristão pode ser alguém “festeiro” ou não. E não me refiro ao sentido de “organizador de festas das comunidades católicas”. Falo no sentido de ser alguém que gosta de festas, de alegria, de gentarada, de comemorações…

Sim! Não somente isso, mas, nosso Deus é festeiro! Isso mesmo, Deus gosta muito de festas. Já reparou quantas festas havia no antigo testamento. Quando começamos a ler o antigo testamento prestando atenção nisso, vemos que era o tempo todo festa e mais festa!


E hoje é o dia de comemorarmos os 17 anos da Fonte Church em Caxias do Sul! Aleluia. E destes, nos últimos 3 anos temos tido a oportunidade de pastorear essa igreja.

 

Baixar mp3

YouTube 





1. Nem sempre entendi isso


Acontece que nem sempre eu pensei desse jeito. Por muitos anos eu pensava que todo tipo de comemoração era bobagem, desperdício de tempo e dinheiro.


Então no final do ensino médio, parei de ir a escola semanas antes das aulas acabarem e nem fui em formatura, mesma coisa na faculdade.


Estragava meus aniversários surpresa e não tinha o costume de dar presentes para ninguém. Ex.: Serenata, volta do Cordeiro.


Até que um dia escutei uma pregação, se não me falha a memória do Pr. Odilon Vergara onde ele ensinava sobre a importância da celebração. Vejamos o que nos diz a Palavra.


Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta a fragrância do seu conhecimento em todos os lugares. 2 Coríntios 2:14.


Aqui triunfo origina do grego thriambeuo, palavra que transmite uma comemoração da vitória, inclusive, a derrota dos inimigos. Também de fazer um espetáculo (de vitória), dar um show.

É mais do que conduzir em vitória, é conduzir na festa do campeão!


Pense comigo em um torneio de futebol. Brasileirão, libertadores… Quem venceu? Os clubes! Agora quem faz a festa? A torcida! Logo, Jesus é quem está na frente, no carro de bombeiros entrando na cidade depois de conquistar o título e nós somos seus torcedores, que dão a vida pelo campeão se necessário, que vendem a casa para não perder um jogo… Ele venceu e por isso tem festa e podemos ser conduzidos nessa “procissão” da festa dele!


Acontece que esse campeonato é por pontos corridos, ele já fez todos os pontos, já levou o caneco. Porém, ainda existem partidas a serem jogadas. Nós sabemos o final da história. Vai dar tudo certo, vamos morar pra sempre com Ele no céu e o Diabo vai queimar no Lago de Fogo.


Deus quer que você comemore!

Ele é festeiro sim!


Então divida seus objetivos em pequenas metas. E cada vez que atingir uma delas comemore!


Não deixe só pra comemorar o final dos estudos, comemore cada prova, faça festa com as pessoas que se importam com você!


Comemore cada boleto pago! Seja intenso!


Dê aquele sorriso grandão quando puder encher o tanque!


E comemore! Faça muita festa mesmo quando ganhar uma vida pra Jesus! Posso ouvir um amém?


Faça muita festa quando sua célula multiplicar! Aleluia.


E EXPLODA EM CELEBRAÇÃO QUANDO A SUA IGREJA COMORAR 17 ANOS! Uhul, aleluia, uma salva de palmas pra Jesus!



2. O começo


O começo aqui não foi fácil. Os Prs. Wagner e Mara tiveram muitas lutas e você pode conhecer muito dessa história no livro “Seja o que Deus quiser”.



3. Nossos 3 anos aqui


Todavia, do que posso mesmo falar são dos últimos 3 anos, dois quais fiz parte. Chegamos aqui em 27/07/2018 e não sabíamos direito por onde começar.

Então começamos andando de ônibus! Queríamos conhecer a cidade, porém nosso carro tinha fica em Cristal pois estávamos resolvendo umas questões documentais dele e não podíamos rodar com ele. Por outro lado, eu estava muito mal do joelho e não poderia sair caminhando por aí. Além disso o Josias estava com 2 meses!

Então pecamos o carrinho de bebe, pesquisamos os horários e locais de pegar o busão e fomos para a parada de ônibus. Detalha: Estávamos morando lá no Jardim Eldorado, colado no Serrano e não longe de Ana Rech.

Até então nós não acreditávamos que deveríamos ter vindo para Caxias; porém, por obediência a nossos líderes tínhamos vindo. Depois de duas semanas, um dia caminhando nas proximidades do Parque dos Macaquinhos, Deus falou comigo e deixou claro que deveríamos estar aqui!


Pensa que desse ponto para frente foi um mar de rosas? Não mesmo, daí que a coisa ficou complicada. Porque até então, era tudo “culpa do Wagner”; afinal de contas não queríamos vir e achávamos que Deus não queria também. Porém, desse ponto em diante, eu sabia que Deus nos queria aqui, então precisávamos nos entregar completamente a essa Igreja.


Choramos muito, muito, muito mesmo. Foi um árduo trabalho para conhecer as pessoas, entendê-las e também para que elas nos conhecessem e nos compreendessem.


Confesso que tive momento onde literalmente… Parecia que meu coração pararia de bater dentro do peito. Perdi o resto dos cabelos que tinha e precisei fazer uns 3 meses de tratamento para o estômago.


Em alguns momentos, pensei em desistir, em outros, em morrer. Cheguei até a pensar que talvez não iria dar conta do ministério que Deus nos chamou para servir.


Mas, quando sou fraco, aí é que sou forte. Deus nos sustentou, nos fortaleceu, e a cada dia foi colocando mais pessoas ao nosso lado. Pais, filhos, irmãos… Espiritualmente e também fisicamente, afinal, não temos nenhum parente morando nas proximidades e para um jovem casal, em uma cidade desconhecida e com o primeiro filho pequeno… Ah, como isso faz falta…



4. Sagrada Família


Começamos com o prédio da Igreja lá no bairro Sagrada Família. E não muito depois veio o desafio. O som novo. E verdade que o som lá era bem difícil de entender o que se falava e muito mais o que se cantava. Então o Pr. Juba foi atrás. Porém, o valor era bem maior do que eu estava acostumado a lidar e muito expressivo em relação ao que a Igreja estava acostumada a movimentar… Mas o passo foi dado e a Igreja não parou por aí. Seguiu para ventiladores, bebedores, painel das células…

Na mesma época, o Douglas e a Faby assumiram a GR e começou a encarar os desafios de formar um ministério. Bem como a Pr. Tássia a GR Kids e iniciou um processo de aproximação e depois transformação. Coube ao Pablo e a Faby organizar a junta de Missões.


Porém, alguns vizinhos não gostavam muito de nós ali. Um deles chegou a dizer que queria dar um tiro no pastor; isso, no caso, o pastor era eu.

Rachaduras também começaram a parecer no pavilhão e ficamos preocupados com isso. Entendemos que deveríamos trocar de pavilhão.

Mas como? Mal conseguíamos pagar o aluguel do local onde estávamos. Para onde iríamos?


A equipe de liderança passou 1 ano em oração e busca até que finalmente encontramos o local onde estamos. Porém, um grande imprevisto. A imobiliária exigiu uma pintura no prédio que deixávamos… E esta, custou 10mil reais. Não tínhamos de onde tirar esse dinheiro. Mas Deus é fiel e foi movendo os corações para que tudo isso fosse resolvido.


5. Pio X


E chegamos aqui onde estamos. Porém esse pavilhão não estava desse jeito. Foi uma grande reforma e diversos irmãos trabalharam voluntariamente, ofertaram, se dedicaram… Saíam do seu trabalho secular e entravam noite a dentro servindo na reforma.

Tudo foi ficando maravilhoso, e as prestações a serem pagas também foram se acumulando. Recapitulando: Já tínhamos o som, a pintura do antigo pavilhão e agora a reforma do novo e mais o novo valor de aluguel…

O Senhor nos deu a vitória, a Igreja começou a viver um despertamento, tivemos uma CRV sensacional e….


VEIO A PANDEMIA.


Foi uma desgraça. Mesmo em meio as lutas e apertos, a Igreja avançava de um jeito ou de outro. Porém quando a pandemia chegou, as portas, estas portas que recém tinham sido abertas, foram fechadas. E como ninguém sabia direito o que era isso e muito menos o que fazer fomos sucumbindo diante de um inimigo que nem enxergávamos.


Cada um trancado em sua casa, sem comunhão, sem vigílias, sem abraços… Muita confusão começou a acontecer porque as pessoas literalmente, não estavam mais juntas.

Alguns pensaram em suicídio, outros em abandonar a fé, alguns em trocar de igreja… Sem falar que mesmo com tudo parado, os compromissos financeiros eram os mesmos. Tivemos momentos onde parecia que não haveria mais volta. Parecia que a igreja racharia ou fecharia ou simplesmente teríamos que ir para algum lugar menor.


Entretanto, Jesus teve compaixão de nós e começou a ordenar que os ossos secos se pusessem de pé. Começou a reacender a chama nos corações. E passo a passo, com muita dedicação de vários poderosos lideres, os corações foram se reaquecendo.


Dizem que o momento mais escuro é antes do sol nascer, foi bem essa a impressão que tivemos na passada de 2020 para 2021. Foi épico. Uma daquelas reviravoltas que parecem ter saído dos cinemas.


E hoje estamos aqui!


E isso aqui, é só o começo! Aleluia!



6. O futuro


Muita coisa nos aguarda pela frente.

Jesus com certeza tem grandes planos para essa Igreja e então isso envolve você!


Ah, mas, hoje… Hoje não é o dia do amanhã. É tempo de comemorar, é tempo de celebrar o que o Senhor fez por nós até aqui!


Até aqui nos ajudou o Senhor! VENCEMOS! Hoje é o dia do TRIUNFO. ELE ESTÁ PASSANDO EM CIMA DO CAMINHÃO DE BOMBEIROS E NÓS OS SEGUIREMOS EM FESTA!