terça-feira, 27 de outubro de 2020

Um chamado para Missões

 A primeira coisa a ser dita é que Jesus é o maior missionário de todos os tempos.


"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16


Deus tinha um único filho e fez dele um missionário. David Livingstone



 

Ouça em mp3

Acesse o Canal

 

Jesus estava superbem junto ao Pai e ao Espírito Santo lá no céu. Ele não precisava de nada nem de ninguém.

Porém, decidiu livremente deixar seus poderes divinos, nascer como um homem e padecer as dores em um mundo contaminado pelo pecado. Na terra, como um de nós, Jesus sentiu calor, frio e dor, muitas dores.

Ele abriu mão de todo conforto, paz, poder e estabilidade que tinha no céu para estar conosco e nos salvar.


Neste sentido, só existe uma MISSÃO. A missão de Jesus de resgatar a humanidade. Acontece que Jesus além de vir para evitar nossa ida ao inferno, veio também para transformar nossas vidas em todos os aspectos.


Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente. João 10:10.


Sempre comparamos a trajetória dos hebreus em sua saída do deserto com a vida cristão.


Sair do Deserto = Conversão.

Atravessar o Mar = Batismo nas Águas.

Deserto = Vida Cristã

Atravessar o Jordão = Batismo no Espírito Santo.

Canaã = Vida Cristã Vitoriosa.

Nova Jerusalém = Nova Jerusalém.


Então além de tirar a pessoa do inferno, Jesus deseja tirar o inferno da pessoa. Além de lhe dar pela graça a salvação, Ele deseja que agora o indivíduo cresça nessa graça, libertando-se dos pecados, das iniquidades, das culturas pecaminosas e todo empecilho para que além de um dia ir ao céu, já viva uma vida fantástica aqui na terra.


A única missão que há é a missão de Jesus de salvar e transformar vidas ajudando-as a serem cada dia mais parecidas com Ele através do discipulado realizado pelo Espírito Santo:

1. De dentro pra fora.

2. No ser igreja.

3. Na sociedade.



Definições


Uma vez que nós entendemos isso, é preciso compreender o sentido das palavras missões, missão, missionário…

Originalmente a palavra de origem latina “Missionário” foi usada na igreja como um sinônimo para a palavra de origem grega encontrada no novo testamento “Apóstolo”.

Logo, quando diz: Apóstolo Pedro, Apóstolo Paulo, etc, todos poderiam ser também lidos como Missionário Pedro, Missionário Paulo…

O Apóstolo pode ser tanto aquele que comissiona, organiza, envia e lidera a implantação de novas igrejas como ser o próprio que vai abrir os novos trabalhos.


Com o passar dos anos, os cristãos inventaram também outros significados para a palavra, entre eles:


1. Um título que indica alguém que já se tornou obreiro, mas, ainda não um pastor.

2. Alguém que vai para algum lugar fazer a obra. Este último faz bastante sentido pois a palavra apóstolo significa ‘enviado’. Assim, mesmo que a pessoa enviada não tenha um ministério apostólico, pode estar realizando uma obra nesta área. Assim como alguém pode profetizar sem ser um profeta.


A Fonte Church é uma igreja apostólica e profética. Observe nosso slogam: “Uma Fonte de Avivamento para as nações”.



Meu chamado


Em 2006 o Espírito Santo começou a arder em meu coração de que eu tinha um chamado missionário. Inclusive colei na porta do meu quarto um folheto sobre ‘Missões Paraguai’. Comecei a constantemente falar com meu pastor sobre isso.

Ele entendeu que isso vinha da parte do Senhor e começou a estudar as possibilidades. Surgiram três.


1. Ficar no RS, estudar teologia e ajudar em alguma igreja local.

2. Ir para Formosa em Goiás.

3. Ir para Fátima do Sul no MS.


Ele estava mais inclinado a primeira, porém compreende que ardia em meu coração o desejo de ir. Tudo se encaminhava para ir a Goiás, porém acabou não dando certo.

O Pr. Samuel Piangers, que na época era meu pastor, foi muito sincero comigo: “O tempo está passando e você precisa tomar uma decisão. Porém, esteja ciente de que nós não temos com garantir que você vai ter uma renda lá, se você entende que Deus quer que você vá, pode ir; agora decida”.


Eu saí daquela conversa e decidi ir para Fátima do Sul. Fui até uma lan house e fiz minha inscrição para Pscicologia na Unigran em Dourados.

Com a concessão da bolsa, entendi aquilo como uma confirmação da parte de Deus. O Pastor então em aconselhou que já que era isso que queria (ir para o MS), estudar teologia seria de melhor proveito.

Não tinha ainda o dinheiro para a passagem, porém, os irmãos da Comunidade Missionária Cristã (hoje Igreja Vida), no tempo em que o que hoje se chama Fonte Church era um conglomerado de igrejas com diversos nomes diferentes, me conseguiram calçados para vender. Assim após o culto fui vendendo os calçados e conseguimos levantar dinheiro suficiente para pegar as 5 diferentes conduções que depois de quase 30 horas me levariam a Fátima do Sul.

Assim em Fevereiro de 2007 o Pr. Samuel Piangers me consagrou como missionário usando o versículo de 2Tm 2:2 o mesmo versículo com o qual ele havia sido consagrado ao ministério.


Em Fátima do Sul o Pr. Luciano Gazola e sua esposa Priscila me receberam muito bem. No dia seguinte se não me falha a memória já foi o vestibular na faculdade de teologia. Era um desafio, afinal eu ainda não tinha renda garantida e a mensalidade seria de 380 (se não me engano). Hoje já é um bom dinheiro, imagine na época.

Porém, quando saí do RS tinha um boizinho; o qual pensava em após a venda usar o dinheiro para pagar a carteira de motorista. No final das contas acabou sendo um reforço financeiro.


Após mais ou menos um mês morando com o pastor Luciano, fui morar nos fundos do prédio da Igreja. Eu tinha 18 anos na época.


Não demorou muito para as dificuldades chegarem. O aperto financeiro foi ficando cada vez maior. E um dia, indo para o Seminário Batista Ana Wollerman onde estudava, ouvindo uma pregação que havia baixado na internet do seminário no recreio do dia anterior, eu disse ao Senhor: “Deus eu vou embora daqui. É muito difícil. Eu vim lá do RS pra só passar trabalho aqui, assim não dá, não está certo, está muito difícil”.

Ao terminar de dizer estas palavras ao Senhor em meus pensamentos, o pregador do mp3 parou a pregação e disse: “O quê? Você já está pensando em desistir? Fui eu quem te trouxe lá de longe e agora nas primeiras dificuldades você já está pensando em desistir? Fui eu quem te trouxe e se eu era contigo lá, quanto mais vou ser contigo aqui, muito mais agora que sobre ti repousa a unção de Samuel”!


Em fevereiro já se completaram 13 anos deste dia e eu nunca o esqueci. Ficou claro para mim que era Deus quem havia me levado para lá e que Ele cuidaria de mim.

No MS tive diversas experiências que acrescentaram muito em minha vida. Tive também a oportunidade de viajar e pregar a palavra em outros estados o que me deixou muito feliz. Pensei inclusive que nunca mais voltaria ao RS. Deus já havia falado muito forte ao meu coração em 2006 sobre um chamado para as nações.


Lá aprendi a ser sustentado pelo Senhor. Lembro de um dia em que olhei os armários e estavam vazios. Minha carteira não tinha um centavo. Então me ajoelhei na cozinha e comecei a clamar ao Senhor. Eu eventualmente fazia algum bico consertando computadores, mas isso não estava resolvendo. Então a campainha tocou. Era um irmão trazendo um rancho pra mim.


Outras vezes, a campainha tocava e encontrava pendurado no portão um saco de leite.

Lembro claramente um dia que falava ao Senhor à respeito da saudade que tinha da minha família e amigos, saudades de Caraá e Santo Antônio da Patrulha. Disse claramente ao Senhor: “Se eu pelo menos tivesse uma rapadura para matar a saudade me sentiria melhor”.

Naquele instante o pastor me ligou: “Sidi, tá em casa”. Eu respondi que estava e ele prosseguiu. “Estou aqui no Marambaia (mercado) e Deus tocou no meu coração que devo te levar rapadura”.


As comunicações na época não era fáceis como hoje. Ao chegar lá conhecia apenas o pastor e isso de tê-lo visto 2 vezes. Não tinha intimidade com ninguém.

Havia dias em que ficava olhando pro forro, com o coração doendo de saudade. Conversava com minha família a cada 15 dias quando muito uma vez por semana pois as ligações eram muito caras. Visitava o RS a cada 6 meses. Mas, pela graça do Senhor, fui vencendo.


O pastor teve a brilhante ideia de liberar a dispensa dos alimentos da marcha do amor para que eu pudesse comê-los e também me orientou a pelo menos uma ou duas vezes na semana comer na casa dos outros e assim ter uma alimentação mais saudável, já que eu não tinha condições financeiras para tê-la em casa.


No último ano lá, descobri que poderia conseguir uma bolsa para a faculdade, fiz o ENEM e havia uma vaga para o estado. Nesta época eu já era aluno da UNIGRAN. Pela graça de Deus ganhei a bolsa e isso me ajudou muito.



De volta ao RS


Voltar ao RS parecia algo bem estranho. Eu estava diferente e as pessoas que me conheciam também. Fiquei alguns meses com minha família e depois em 2010, aos poucos fui assumindo como pastor a Igreja Vida Nova em Cristal (também da antiga ALIA que depois se tornaria Fonte Church), Nesta época com 21 anos.

Continuei pastoreando a Igreja de Cristal, mesmo sem morar lá e em 2010 mudei para Gravataí onde fiz um rápido estágio com o Pr. Mário Silveira da Igreja Seara em Cachoeirinha. Na Seara e especialmente com o Pr. Mario, aprendi muita coisa. Ficava de terça a quinta em Gravataí e de sexta a domingo em Cristal. As segundas eram dentro do ônibus.


Finalmente em fevereiro de 2011, fui morar em Cristal.

No começo foi bem difícil. Eram pouquíssimas pessoas e alguns dos líderes principais me sondavam se não era melhor fechar logo a igreja do que tentar fazer ela crescer.

Mas já em dezembro de 2011, conheci a Tássia. Ela foi um presente de Deus que mudou minha vida.

Na época em que casamos, ela tinha uma loja de aviamentos, bazar e papelaria. Por um tempo nos dividimos entre a obra e cuidar da loja. Até que um dia nossos discipuladores entenderam que era chegado o tempo de nos dedicarmos exclusivamente a obra.

Ficamos um pouco assustados pensando como teríamos renda para sobreviver pois o que vinha da igreja não era muito. No mesmo período, o Pr. Samuel Piangers que agora estava em Rio do Sul-SC entra em contato para dizer que a Igreja de lá havia sentido no coração de no enviar um auxílio financeiro por um período. E assim, nada nos faltou.

A Igreja cresceu muito, fomos subindo de 2 células para 7, depois 14, rapidamente passarmos a marca de 100 pessoas nas células e parecia que não existiam mais problemas. Foi nesse período que começamos a ser discipulados pelo Pr. Wagner e a Pra. Mara

Porém a bonança não durou para sempre. Começaram outros tipos de problemas, outras lutas que culminaram em alguns dos momentos mais difíceis de nossas vidas.


Estávamos com gravidez de risco e a pastora Tássia precisava de muito repouso. Ao mesmo tempo, haviam muitos problemas internos na igreja. Não bastasse isso havíamos comprado um carro, porém, uma fonte de renda que contávamos para pagar a parcela do carro parou de nos pagar e a igreja local entendeu que devido a situação financeira seria bom reduzir em 30% nossa côngrua pastoral.

Foram dias bem complicados, porém, o senhor não nos deixou faltar nada.

No meio de tudo isso, recebemos a notícia de que o Pr. Wagner e a Pra. Mara iriam para Monte Mor e nós estávamos sendo convidados a assumir Caxias do Sul e a supervisão das igrejas no estado.

Foi um turbilhão de coisas ao mesmo tempo que parecia que não iríamos aguentar.


O Senhor nos sustentou e aqui estamos!



O Futuro


E isso é só o começo!

Tenho muitos sonhos no coração e creio que eles vem do Senhor.

Logo, logo estaremos com este pavilhão cheio de pessoas apaixonadas por Jesus e células por todos os bairros e até nas cidades vizinhas!


Um dia, teremos uma escola da Fonte Church Caxias do Sul, começando com os pequeninos e depois expandindo para as demais séries.


Ah queridos, eu sonho de termos um pavilhão próprio e não precisarmos mais pagar aluguel, quem sabe seja esse mesmo aqui!


E não para por aí, teria que fazer uma pregação inteira só para expressar toda expectativa que tenho para a Fonte Church de Caxias do Sul.


Sonho em ver essa igreja cada dia mais forte, inclusive como uma grande base regional para todo nosso estado.



E você?


Todos nós precisamos estar na missão de Jesus de ganharmos vidas e cuidarmos bem de cada uma delas. Esse é o ‘ide e fazei discípulos’!

Você pode fazer tornando-se um líder de célula em um novo bairro, ou assumindo um compromisso financeiro com missões.


Na Fonte Church uma das principais maneiras de se envolver em missões é através do Cavando Fontes.


A antiga máxima sobre missões é verdadeira. Você pode fazê-la:

1. Indo.

2. Orando.

3 Contribuindo.


Que tal doar um final de semana para servir em uma das igrejas que temos aqui no estado?



Ministração


Quem de vocês acredita que tem um chamado missionário? Queremos orar por vocês.


Vamos levantar um clamor por missões!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...